Quem é o Messias?

Eu quis ficar sempre neste mundo, entre os homens. Durante o Dilúvio, Eu estava junto de Noé, o único Justo então. Nas outras calamidades, Eu encontrava sempre um Justo junto de quem permanecer e por seu intermédio Eu ficava entre os homens desse tempo. E foi sempre assim.

O mundo foi muitas vezes purificado da sua corrupção pela minha infinita Bondade para com a humanidade. Então, Eu continuava a escolher almas nas quais Me comprazia, para que, por elas, Eu Me pudesse comprazer nas minhas criaturas , os homens.

Eu tinha prometido ao Mundo o Messias. O que Eu fiz para preparar a sua Vinda, mostrando-Me nas figuras que O representavam, mesmo mil e dois mil anos antes da Sua Vinda! Porquê, este Messias? Quem é Ele? Donde vem? Que fará Ele na Terra? Quem é que vem representar?

O Messias é Deus

- Quem é Deus? Deus é o Pai, o Filho e o Espírito Santo.

- Donde vem Ele, ou melhor, quem Lhe deu ordem para vir ter com os homens? Fui Eu, Seu Pai, Deus.

- Quem representará Ele na Terra? O Seu Pai.- Deus.

- Que fará Ele na Terra? Fará conhecer e amar o Pai: Deus.

Não disse Ele:

“Não sabeis que Eu devo cuidar das coisas de meu Pai? Nesciebatis quia in his, quae Patris mei sunt oportet me esse” (em São Lucas cap. 2, vers. 49).

- Vim para fazer a vontade de meu Pai.

- Tudo o que pedirdes a meu Pai em meu Nome Ele vo-lo concederá (Jo 15,16).
Rezai-lhe assim: “Pai Nosso, que estais nos Céus…”, e como veio para glorificar o Pai e dá-Lo a conhecer aos homens, disse:

- Quem Me vê, vê o Pai (Jo., 14,9)

- Eu estou no Pai e o Pai está em Mim (Jo, 14,10).

- Ninguém vem ao Pai senão por Mim — ” Nemo venit ad Patrem nisi per me”: em São João, cap. 14,vers. 6.

- Quem está coMigo, está também com meu Pai , etc., etc.

Concluí, ó homens, que desde toda a Eternidade Eu só tive um desejo: o de Me dar a conhecer aos homens e de Me fazer amar, desejando permanecer permanentemente junto deles.

Quereis uma prova real deste desejo que acabo de exprimir?

Porque ordenei a Moisés a construção do Tabernáculo e a Arca da Aliança a não ser por causa do meu ardente desejo de vir habitar como um Pai, um Irmão, um Amigo confiante, com as minhas criaturas, os homens? Apesar disso eles esqueceram-Me, ofenderam-Me com inumeráveis pecados. E para que eles se lembrassem, apesar de tudo, do seu Pai, Deus, e do único desejo que Ele tem de os salvar, dei os meus Mandamentos a Moisés, para que, observando-os, eles pudessem lembrar-se do Pai infinitamente bom, sempre ocupado com a sua salvação atual e eterna.

dez-mandamentosTudo isso caiu de novo no esquecimento e os homens perderam-se no erro e no temor, achando difícil observar as Leis que Eu lhes tinha dado através de Moisés. Forjaram outras leis de acordo com os seus vícios para as cumprir com maior facilidade. A pouco e pouco, no temor exagerado que tinham de Mim, voltaram a esquecer-Me e a encher-Me de ultrajes.

No entanto, o meu amor por estes homens, filhos Meus, não se extinguiu. Quando verifiquei que nem os Patriarcas, nem os Profetas, conseguiam fazer-Me amar e conhecer pelos homens, resolvi ir Eu próprio.

Mas como fazer para andar no meio dos homens? Não havia outro meio senão ir Eu próprio, na Segunda Pessoa da minha Divindade.

E os homens conhecer-Me-iam, escutar-Me-iam?

Para Mim, nada estava escondido no futuro e conhecia a resposta a estas duas perguntas. Eu respondia a Mim mesmo.

Eles ignorarão a minha presença, apesar de estarem ao pé de Mim. No Meu Filho, hão-de maltratar-Me, apesar de todo o bem que Ele lhes fizer. No Meu Filho hão-de caluniar-Me e crucificar-Me para Me dar a morte.

Havia de parar por causa disso? Não! O meu Amor é excessivamente grande pelos meus Filhos, os homens!

Não parei, mas reconhecei que vos amei, por assim dizer, mais que ao meu Filho Bem-Amado, ou melhor, mais que a Mim mesmo.

O que vos acabo de revelar é de tal modo verdadeiro que se tivesse bastado uma das minhas criaturas para expiar o pecado dos outros homens, com uma vida e uma morte como a do meu Filho, Eu teria hesitado. Porquê? Porque Eu atraiçoaria o meu Amor fazendo sofrer outra criatura que amo em vez de sofrer Eu próprio, no meu Filho. Eu jamais teria querido fazer assim sofrer os meus filhos.

Eis, pois, em resumo o relato do meu Amor até a minha vinda, por meio do meu Filho, para o meio dos homens.

Todos estes acontecimentos são conhecidos pela maior parte dos homens, mas eles ignoram o essencial, ou seja, que foi o Amor que tudo conduziu!

Sim, é Amor. É isso que quero esclarecer neste relato que acabais de ler.

Este Amor é esquecido. Quero recordá-lo para que aprendais a conhecer-Me tal como sou. Para que não tenhais medo, como escravos, de um Pai que vos ama a este ponto.