Eu vos amo com tanta ternura!

Vede: neste relato estamos apenas no primeiro dia do primeiro século e Eu desejo trazê-lo até aos nossos dias: ao século XX.

Oh, como o Meu Amor de Pai foi esquecido pelos homens!

Contudo, Eu vos amo com tanta ternura! No meu Filho, quer dizer, na Pessoa do meu Filho feito Homem, o que não continuei a fazer! A Divindade, nesta Humanidade, ficou velada, pequena, pobre, humilhada. Eu levava, com o meu Filho Jesus, uma vida de sacrifício o de trabalho. Recebia as Suas orações para que o homem tivesse um caminho traçado de modo a caminhar sempre na justiça para vir em segurança até Mim!

Eu sei compreender bem a fraqueza dos meus filhos! Por isso pedi a Meu Filho para lhes dar os meios de sustentar a sua fraqueza. Tais meios ajudá-los-ão a purificar-se dos seus pecados para continuarem a ser os filhos do Meu Amor. Esses meios são, principalmente, os Sete Sacramentos e, sobretudo, o grande meio para vos salvar apesar das vossas quedas: A Cruz, o Sangue do meu Filho que, a cada instante, se derrama sobre vós, desde que o desejeis, quer pelo sacramento da Penitência, quer também pelo Santo Sacrifício da Missa.

Meus queridos filhos, há vinte séculos que Eu vos cumulo destes bens com graças especiais e o resultado é mínimo! Quantas das minhas criaturas, tornadas filhas do meu Amor pelo meu Filho, lançaram-se rapidamente no abismo eterno! Na verdade, eles não conheceram a minha Infinita Bondade. Eu vos amo tanto! (Expressão preferida da Irmã Eugénia e que aparece freqüentemente.)

Ah, ao menos vós, que sabeis que Eu venho em Pessoa para vos falar, vos dar a conhecer o Meu Amor, por piedade por vós próprios, não vos lanceis no precipício. Eu sou vosso Pai!

Seria possível que depois de Me terdes chamado Pai e de Me terdes testemunhado o vosso amor, encontrásseis em Mim um coração tão duro e insensível que vos deixasse perecer? Não! Não! Nem o penseis! Eu sou o melhor dos Pais. Conheço a fraqueza das minhas criaturas. Vinde! Vinde a Mim com confiança e amor! E Eu vos perdoarei com o vosso arrependimento. Ainda que os vossos pecados fossem repugnantes como a lama, a vossa confiança e o vosso amor levar-Me-ão a esquecê-los, de modo que não sereis julgados. É verdade que Eu sou justo, mas o Amor apaga tudo!

Escutai meus filhos, façamos uma suposição e tereis a certeza do meu amor: para Mim, os vossos pecados são como ferro; para Mim, os vossos atos de amor são como ouro. Se Me entregásseis mil quilos de ferro nunca seria tanto como se Me désseis dez quilos de ouro! Isto significa que com um pouco de amor se podem redimir imensas iniquidades.

Eis aqui uma fraquíssima imagem do meu Juízo sobre todos os meus filhos, os homens, sem exceção. Devem, pois, vir ter comigo!

Estou tão perto de vós! Deveis, pois, amar-Me e honrar-Me para não serdes julgados ou para serdes julgados com amor infinitamente misericordioso.

Não duvideis! Se o meu coração não fosse feito assim já teria exterminado o mundo tantas vezes quantos os pecados que ele tem cometido! Mas, como sois testemunhas, a cada instante manifesta-se antes a minha proteção por meio de graças e benefícios. Daí podeis concluir que há um Pai acima de todos os pais, que Ele vos ama e que não deixará de vos amar, desde que o queirais.

eucaristiaVenho ter convosco por meio de dois caminhos: a Cruz e a Eucaristia.

A Cruz é o meu caminho para descer até os meus filhos porque foi por ela que Eu os fiz redimir pelo meu Filho. E, para vós, a Cruz é o vosso caminho para ascender até o meu Filho e, pelo meu Filho, até Mim. Sem ela nunca poderíeis fazer esta caminhada porque o homem, pelo pecado, atraiu sobre si a separação de Deus como castigo.

Pela Eucaristia resido entre vós como um Pai na sua família. Quis que o meu Filho instituísse a Eucaristia para fazer de cada Sacrário o reservatório das minhas graças, das minhas riquezas e do meu amor, para os dar aos meus Filhos, os homens.

É ainda por estes dois caminhos que Eu faço descer o Poder e a minha infinita Misericórdia.

Agora que vos mostrei que o meu Filho Jesus Me representa entre os homens e que por Seu intermédio Eu permaneço sem cessar entre eles, quero mostrar-vos também que Eu venho estar convosco por meio do meu Espírito Santo.

A obra desta Terceira Pessoa da minha Divindade é levada a cabo sem ruído e muitas vezes o homem não se apercebe dela. Mas para Mim é um meio muito apropriado para permanecer, não só no Sacrário, mas também na alma de todos os que estão em estado de graça, para aí estabelecer o meu Trono e permanecer sempre como verdadeiro Pai que ama, protege e ampara o seu filho. Ninguém pode compreender a alegria que sinto quando estou sozinho com uma alma. Ninguém compreendeu até agora os infinitos desejos do meu Coração de Deus Pai, de ser conhecido, amado e honrado por todos os homens justos e pecadores. E são estas três homenagens que EU desejo receber em desagravo dos maiores pecadores,

O que Eu não fiz ao meu povo desde Adão até José, pai adotivo de Jesus, e desde José até este dia, para que o homem Me possa prestar o culto especial que Me é devido como Pai, Criador e Salvador! No entanto, este Culto Especial que Eu tanto desejei e que continuo a desejar, ainda não Me foi dado!

No livro do Êxodo ledes que é preciso honrar a Deus com um culto especial. Os Salmos de David, sobretudo, encerram o mesmo ensinamento. Nos Mandamentos que dei a Moisés coloquei em primeiro lugar: “Um só Deus adorarás e amarás perfeitamente”.

Ora, amar e honrar alguém são duas coisas que andam juntas. Posto que vos cumulei de tantos benefícios devo, pois, ser particularmente honrado por vós!